| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

noticiando
Desde: 20/05/2004      Publicadas: 33      Atualização: 10/06/2005

Capa |  artigos  |  labjor III  |  matérias  |  pautas  |  poesias  |  radio  |  textos  |  trabalhos


 radio
  28/06/2004
  0 comentário(s)


História e Desenvolvimento do Rádio
História dos Meios de Comunicação eletrônicos  ligada à efervescência industrial vivida no século XIX (Revolução Industrial)
História e Desenvolvimento do Rádio
Profa. Flávia Lúcia Bazan Bespalhok

História e Desenvolvimento do Rádio
►Mundo◄

 História dos Meios de Comunicação eletrônicos  ligada à efervescência industrial vivida no século XIX (Revolução Industrial)
 1837 - ingleses inventam o telégrafo elétrico
 1844 - Samuel F. B. Morse desenvolve equipamento e instala a 1a. Linha operacional de telégrafo nos EUA, ligando Washington a Baltimore.
 1866 - Cabos submarinos ligam os EUA à Europa - Oceano Atlântico
 Troca de informações + eficaz e rápida
 Maiores beneficiados: empresas jornalísticas da época
 Surgem a Reuters (inglesa) e a Associated Press (USA)
 1876 - Alexandre Graham Bell patenteia seu invento  telefone
 1873 - documento relata experiências de C. Maxwell (feitas em 1864) com uma energia radiante e invisível semelhante à luz.
 1887 - Heimrich Hertz faz testes em laboratórios, descobre a energia do rádio e mede seu comprimento de onda. Seus estudos “Ondas eletromagnéticas e suas reflexões” levam ao descobrimento do RÁDIO em poucos anos.
 Hertz - freqüência das ondas de rádio (1 ciclo por segundo)
 1896 - Italiano Guglielmo MARCONI (22 anos) patenteia 1o. aparelho rádio. O invento ainda não usava voz humana. Transmitia em código Morse. NESSE ANO envia mensagens da Inglaterra à França.
 No ano seguinte cria uma empresa que vende aparelhos de rádios e serviços de telegrafia sem fios para o público.
 Maiores interessados: empresas e governo
 Sistema para navios da Marinha Mercante e de Guerra.
 MARCONI  EUA  1899 faz a cobertura da Copa América pelo jornal New York Herald. A vitória do barco norte-americano “Columbus” é noticiada quase imediatamente, o que consolidou a eficiência do equipamento de MARCONI.
 1896 - Reginald Aubrey acopla um microfone ao invento de Marconi e consegue transmitir a voz humana e som de discos.
 Militares americanos  insatisfeitos com o sistema de comunicação da época (via telégrafo)
Exemplo de percurso de uma mensagem:
Manila barco Hong Kong telégrafo Oceano Índico telégrafo Mar Vermelho telegrafo Mediterrâneo telégrafo Oceano Atlântico  Washington

 1912 – Tragédia do Titanic (aparece pela primeira vez: David Sarnoff - funcionário de uma loja em NY)
 Evidenciou importância do rádio e necessidade de se normatizar o acesso e uso do sistema.
 Muitos operadores usavam aparelhos de transmissão  anarquia radiofônica no ar
 congresso americano baixa lei com o objetivo de organizar as transmissões independentes e eliminar as interferências nos sistemas do governo federal.
 todos que quisessem operar rádio como meio de comunicação deveriam ter licença específica.
 Marinha americana não queria a abertura do uso do rádio para civis. Entendia que era de vital importância para defesa da nação.
 1a. Guerra Mundial  Marinha dos EUA encampou todas as emissoras de rádio do país. Treinou 10 mil soldados para operar sistema.
 Fim da guerra - Marinha queria monopólio mas foi vencida.
 1919 criada a RCA - Radio Corporation of America,
 Características:
 atuação no exterior - ganhar dinheiro com venda de telegrafia e telefonia.
 esperava ter os governos - Marinha - como principais clientes
 conceito de rádio - ponto a ponto, como telefone e telegrafo
 ninguém na companhia acreditava no rádio como meio de comunicação de massa.

 Primeira estação - 1920 - KDKA (fábrica Westinghouse)
 1926 RCA cria subsidiária - NBC - National Broadcasting Company - 1a. para operação em rede (25 estações em 21 cidades diferentes)
 1928 - CBS - Columbia Broadcasting Company
 1943 - ABC - American Broadcasting Company
História e Desenvolvimento do Rádio
►Brasil◄

 FASE DE IMPLANTAÇÃO (1922 - 1930)
 Inaugurado em 7 de setembro de 1922, como parte das comemorações da Independência - discurso do então presidente Epitácio Pessoa.
 Poucos aparelhos receptores
Vieram 80 aparelhos receptores, distribuídos para autoridades ou colocados nas praças. ♫1
 Primeira emissora a funcionar - Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada por Roquete Pinto e Henry Morize - cunho educativo - voltada para a elite - receptores importados e caros.
 Nasce como um empreendimento de intelectuais e cientistas
 Finalidades culturais, educativas e altruísticas.
 Rádios Sociedades ou Rádio Clubes
Sociedades que se mantinham através da contribuição de seus sócios. ♫2
 Minoria economicamente privilegiada
 Transmissão irregular
 Programação de caráter erudito. ♫3

 2. FASE DO RÁDIO COMERCIAL (1931 - 1950)
 1931 - inicia-se uma transformação radical, com a chegada do primeiro decreto sobre radiodifusão.
 Determinou as condições para as concessões, necessidade de constituição de rede nacional e fixou as normas técnicas a serem seguidas pelas emissoras.
 Instituiu a obrigatoriedade de transmissão de um programa nacional emitido pelo Serviço de Publicidade da Imprensa Nacional.
 1932 - Decreto 21.111 autoriza a inclusão de propaganda no rádio - inicialmente 10% - 20% - 25%.
 De erudito, educativo e cultural  popular, voltado ao lazer e diversão.


 3. ERA DE OURO (1936 - 1950)
 Começa com o surgimento da Rádio Nacional (12/09/36) ♫4
 A empresa A Noite investe pesado - 10 maestros, 124 músicos, 33 locutores, 55 radioatores, 39 radioatrizes, 52 cantores, 44 cantoras, 18 produtores, 13 repórteres 24 redatores, 4 secretários de redação e cerca de 240 funcionários na área administrativa.
 Assume cada vez mais papel importante na vida política e econômica do País. Getúlio Vargas é o primeiro governante a perceber sua importância e passa a utilizá-lo num modelo autoritário. ♫5
 1934 surge “A Voz do Brasil”
 1939 – Criado o Departamento de Imprensa e Propaganda - DIP - ligado diretamente a presidência.
 1940 Getúlio Vargas encampa A Noite, e sua emissora - Rádio Nacional - para atuar como um mecanismo de “controle social”, com o objetivo de “manter as expectativas sociais dentro dos limites compatíveis com o sistema como um todo”.
 Crescem investimentos publicitários.
 Cresce a concorrência entre as emissoras. IBOPE surge em 1942.
 Radiojornalismo aparece como atividade mais estruturada.
 Repórter Esso (“Testemunha ocular da história” - 27 anos no ar) (Surge em 28/08/41) ♫6
 Grande Jornal Falado Tupi (1942) criado por Coripheu de Azeredo Marques.
Marcos importantes para a definição do caminho do radiojornalismo brasileiro, desenvolvendo linguagem própria para o rádio e deixando para trás a “leitura ao microfone das notícias dos jornais impressos”.
 Surgem as radionovelas.
 A primeira: “Em busca da felicidade” – 1942
 Em 1945 a Rádio Nacional possuía 14 telenovelas diariamente. ♫7

 4a. FASE - NOVOS RUMOS (1950 - 1980)
 Época de ouro termina com a chegada da televisão, que busca no rádio seus profissionais, copia seus principais programas e leva junto os investimentos publicitários.
 Para enfrentar TV - mudança de linguagem.
 Início - vitrolão - muita música e poucos programas produzidos

 Começa a acentuar-se especialização das emissoras, procurando cada uma delas um público específico.
 Radiojornalismo ganha impulso.
 Transistor passa a ser usado, barateando o custo dos receptores e permitindo levá-los para todos os lugares devido ao uso de baterias.
 Radiojornalismo - unidades móveis permitem reportagens ao vivo (1959)
 Rádio Jornal do Brasil (1959) lança o serviço de utilidade pública - ouvinte fica mais próximo.
 Década de 60 - primeiras emissoras de FM começam a operar. 1a. - Rádio Imprensa do Rio de Janeiro. Início - “música ambiente”.
 A partir da década de 70 o rádio mostra a tendência de especializar-se cada vez mais, para recuperar-se do marasmo que caiu depois da chegada da TV.
 Em 1976 - governo cria a Radiobrás - com a finalidade de organizar, operar e explorar os serviços de radiodifusão.
 -Em 1980 Rádio Jornal do Brasil cria formato parecido com all news.

 5a. FASE - SEGMENTAÇÃO E FORMAÇÃO DE REDES
 Desenvolvimento do rádio segue o desenvolvimento do país.
 Rádio de caráter nacional não tem mais razão de existir, voltando-se para aspectos regionais mais ligados a comunidade de atuação.
a) especialização (segmentação) das emissoras:
 especialização da emissora como um todo na direção de um público específico - dá aos anunciantes opções melhores delineadas;
 especialização de diferentes horários das emissoras com o objetivo de atingir maior público possível, dando opções a todo tipo de anunciante;
b)Formação de Redes
 Realidade cada vez mais presente - dezenas ou até centenas de emissoras regionais transmitindo uma programação unificada - fortalecimento como alternativa publicitária.
 As emissoras que trabalham com formação de rede têm mais mobilidade de programação. O que é nacional, de interesse da comunidade local entra na programação que vem da cabeça de rede. A emissora entra com a contrapartida de produzir o material local e regional, alternando-o com o nacional.
 1982, a Rádio Bandeirantes AM inaugura um novo patamar para a radiodifusão brasileira  o início das transmissões via satélite (radiojornal Primeira hora)
 Hoje, destacam-se as Redes Bandeirantes AM e FM, Jovem Pan AM e FM, CBN, Transamérica, com afiliadas em todo o país.
 - 19 de fevereiro de 1998, Congresso Nacional aprova a radiodifusão comunitária.
 - A regulamentação das rádios livres ou rádios piratas - como os empresários as chamavam – acontece depois de quase 20 anos de discussão sobre a democratização do rádio.
 Rádios comunitárias, segundo a lei, são aquelas que:
 operam em freqüência modulada
 baixa potência
 cobertura restrita
 sediadas na comunidade ( controladas por associações de moradores)
 sem fins lucrativos.
 Em 2002 (dados M.C.) - aproximadamente 1700 rádios comunitárias autorizadas em todos os estados brasileiros.




  Mais notícias da seção textos no caderno radio
30/06/2004 - textos - PRODUÇÃO DE PROGRAMAS RADIOFÔNICOS
O que é PRODUÇÃO em rádio?  Planejamento de um programa que será levado ao ar;  Significa pensar em conjunto todos os elementos da linguagem radiofônica: a voz humana, a música, os efeitos sonoros e o silêncio; ...
28/06/2004 - textos - SISTEMAS DE EXPLORAÇÃO DA RADIODIFUSÃO
“ O rádio é um poderoso instrumento político que tanto pode servir à mudança como à manutenção de um Estado, das relações sociais, da própria liberdade individual e/ou coletiva....
28/06/2004 - textos - LINGUAGEM RADIOFÔNICA
“A trilha sonora pode acentuar ou reduzir determinados aspectos dramáticos contidos na voz do comunicador, ressaltados por vezes, pelo silêncio ....



Capa |  artigos  |  labjor III  |  matérias  |  pautas  |  poesias  |  radio  |  textos  |  trabalhos
Busca em

  
33 Notícias